Thursday, October 27, 2005

Petistas orientaram testemunhas do caso Daniel

OGlobo
BRASÍLIA. Trechos das fitas divulgadas ontem pelo senador Álvaro Dias (PSDB-PR) na CPI dos Bingos mostram que líderes do PT orientaram testemunhas do caso Celso Daniel na véspera de seus depoimentos à Polícia Civil de São Paulo. Numa das gravações, Gilberto Carvalho, então secretário de Governo de Santo André, conta que estivera com três testemunhas na casa do deputado e advogado Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP), designado pelo PT para acompanhar as investigações.

A conversa telefônica, dias após o crime, é com Klinger Souza, à época secretário de Serviços Municipais. Carvalho informa que acabou de voltar da casa de Greenhalgh, onde diz que fora “preparar os meninos”.

Em gravação, relato de conversa com Dirceu

Em seguida, ainda na mesma ligação, ao comentar o rumo das investigações, Carvalho revela a Klinger que discutiu com José Dirceu, então presidente do PT, uma estratégia para desqualificar a tese de crime político e diz que o partido vai mergulhar de cabeça no caso.

“Ontem, tive uma conversa com Zé Dirceu, levei até João (Avamileno) comigo, para a gente discutir um pouco a nossa tática. O partido vai entrar meio pesado agora, viu?”

Dirceu reaparece em outra gravação. Desta vez, a conversa é entre Carvalho e o empresário Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, apontado pelo Ministério Público como autor do crime. Carvalho relata que terá uma conversa-chave na casa de José Dirceu, com a participação também de Greenhalgh. Carvalho diz que o objetivo é “conversar um pouco sobre a tática da semana”, porque o PT “vai ter de partir para a contra-ofensiva”.

As gravações fazem parte de mais de 13 horas de escutas registradas em 42 fitas. O grampo foi feito pela Polícia Federal com autorização da Justiça. Mas as gravações foram consideradas ilegais porque o pedido foi feito com a justificativa de que a polícia investigava traficantes.

Em outro trecho, Sombra liga para Ivone, ex-mulher de Celso Daniel, no momento em que ela prestava depoimento à polícia e dá a ela informações sobre um detalhe da investigação: a calça que o prefeito vestia quando seu corpo foi encontrado. A orientação, aparentemente, tem a intenção de evitar uma contradição no depoimento de Ivone.

Outros trechos chamaram atenção da comissão. Entre eles, o que Klinger elogia a entrevista de Ivone à “Folha de S.Paulo” (“Ela está com uma postura de viúva mesmo”). Klinger e Sombra também mostram preocupação com as investigações feitas por repórteres, que apontavam para crime político.

Presidente da CPI pede à Justiça cópias integrais

O presidente da CPI dos Bingos, senador Efraim Moraes (PFL-PB), requisitou à Justiça Federal cópias integrais das fitas. Álvaro Dias causou polêmica ao mostrar, no meio da sessão, um CD com as 13 horas de gravações. A intenção era reproduzir as gravações, mas os governistas reagiram. A sessão foi interrompida para que os ânimos se acalmassem.

No intervalo, o advogado de Gilberto Carvalho, Luiz Fernando Pacheco, disse que seu cliente só falaria sobre o conteúdo depois de ouvi-las integralmente e com um laudo comprovando que não foram editadas.

— Mais do que nunca reforço meu desejo de ouvir as fitas. Se não tivermos o contexto dos diálogos, vamos suspeitar de pessoas e condená-las como o senhor acabou de fazer — disse Gilberto, dirigindo-se a Dias.



‘O partido vai entrar meio pesado agora, viu?’
A seguir, trechos das gravações feitas ilegalmente com políticos petistas, depois da morte do prefeito de Santo André (SP), Celso Daniel, e apresentadas ontem na CPI:

1. GILBERTO CARVALHO CONVERSA COM KLINGER OLIVEIRA SOUZA:

GILBERTO: Voltei agora da casa do Luiz Eduardo, porque os meninos foram depor hoje.

KLINGER: Estou sabendo. Eu conversei com eles hoje de manhã. Eles estavam preocupados.

GILBERTO: Nós fomos prepará-los lá, um pouco.

KLINGER: Está certo. Mas eu acho que é tranqüilo. É aquela história dos caras quererem mostrar serviço, porque agora ficam ampliando demais esse negócio. É uma coisa maluca.

GILBERTO: Ontem, tive uma conversa com o Zé Dirceu, levei até o João (Avamileno) comigo, para a gente discutir um pouco a nossa tática. O partido vai entrar meio pesado agora, viu?

2. SÉRGIO GOMES DA SILVA, O SOMBRA, CONVERSA COM GILBERTO CARVALHO:

GILBERTO: Tá tudo certo. Eu vou agora (...) marcamos às 15h na casa do Zé Dirceu, vamos ter uma conversa. Eu, ele e o Luiz (Eduardo Greenhalgh )... conversar um pouco sobre a nossa tática essa semana, né? Porque nós vamos ter que ir para a contra-ofensiva...

SOMBRA: Eu vou falar com os meus advogados amanhã, e a minha idéia é colocar esta investigação sob suspeição... Arrumar um jeito de...

GILBERTO: É, acho que esse é um bom caminho.

SOMBRA: Arrumar um jeito de ir pra cima, porque o que estes caras estão fazendo é uma verdadeira (ininteligível)...

3. LUIZ EDUARDO GREENHALGH CONVERSA COM GILBERTO CARVALHO:

GREENHALGH: Tá chegando a hora de o João Francisco ir depor. E antes do depoimento quero conversar com ele para ele não destilar ressentimentos lá, entendeu?

GILBERTO: Pelo amor de Deus, vai ser fundamental. Tem que preparar bem isso aí.

4. SÉRGIO GOMES DA SILVA, O SOMBRA, CONVERSA COM IVONE DE SANTANA, VIÚVA DE CELSO DANIEL:

SOMBRA: Eu tô falando com o GILBERTO: agora... Tá sendo divulgado... que a calça que ele estava usando, a calça trocada, era dele.... A calça que ele foi encontrado era dele.

IVONE: Tá bom, mas não é nada disso, não.

5. KLINGER OLIVEIRA SOUZA CONVERSA COM SÉRGIO GOMES DA SILVA, O SOMBRA:

KLINGER: Você leu a entrevista da Ivone na “Folha”?

SOMBRA: Vi. Foi excelente.

KLINGER: Ela está sendo convidada hoje para ir lá no (programa da) Hebe. Eu tô aconselhando ela a ir, porque ela está com uma postura legal, uma postura de viúva mesmo, eu acho que vai desmontando...

SOMBRA: Claro.