Tuesday, October 25, 2005

Para ACM, vitória do "não" é resposta do povo ao governo


Ao registrar que votou "não" no referendo sobre a proibição da comercialização de armas de fogo e munição no país, no último domingo (23), o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) disse que a população, ao votar majoritariamente no "não", deu o primeiro sinal de sua insatisfação com o governo federal e com o Partido dos Trabalhadores (PT), que havia oficializado seu apoio ao "sim".
- Talvez o resultado tivesse sido outro se o governo não tivesse se metido no referendo; ele quis patrociná-lo para mostrar que era forte, e hoje amarga o resultado: uma tremenda derrota - disse o senador
O senador baiano chamou atenção para a coincidência da vitória do "não" no referendo com a divulgação, pelo jornal Folha de S. Paulo, de pesquisa do Instituto Datafolha mostrando tendência de queda na aprovação do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.
Em aparte, o senador Jose Jorge (PFL-PE) ratificou o discurso de Antonio Carlos, dizendo que o povo será contra qualquer coisa que for proposta pelo governo ou pelo PT. Por sua vez, o senador Tião Viana (PT-AC), ao comunicar seu voto pelo "não", interpretou a vitória dessa opção como um alerta ao governo federal da fragilidade do Estado em garantir segurança aos cidadãos.- Ninguém quer ter armas, mas todos querem ter segurança - assinalou o vice-presidente da Casa.
51226