Tuesday, October 25, 2005

Dirceu diz que oposição é a culpada pela crise

Brasília - O deputado José Dirceu (PT-SP) disse na noite desta segunda-feira que toda a crise política se deve à oposição, que quer inviabilizar a reeleição de Lula. Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura de São Paulo, o deputado considerou natural que o governo pedisse aos deputados do PT acusados que renunciassem para encurtar a crise. “É natural que o governo peça isso. Se eu estivesse lá faria o mesmo, mas eu não renunciei nem renunciarei”, defendeu-se.
Dirceu reconheceu que o governo Lula errou quando não propôs a reforma política logo no começo. Ele, que era coordenador político do governo, admitiu que errou: “Um dos nossos erros foi não fazer a reforma no primeiro ano de governo. Deveríamos ter nos comprometido em fazer a reforma política e a reforma administrativa. Estamos pagando por isso”, disse. mais adiante, ele cobrou a mesma reforma política da Câmara dos Deputados.
O deputado petista comportou-se de forma agressiva com as perguntas mais frontais e, por duas vezes, acusou jornalistas de estarem fazendo “presunção de culpa”. ‘Você não é juiz, não é tribunal, a imprensa não é Justiça”, disse ele em certo momento. Mas admitiu que saiu do governo porque não podia se defender dentro do Palácio do Planalto. E informou que, dois dias antes, o presidente Lula lhe pediu que saísse.
Ele reiterou a sua convicção na própria inocência e disse: “Toda vez que um rito meu for violado, eu vou recorrer, é um direito que eu tenho”. Nas várias vezes em que os jornalistas lhe perguntaram as razões de tantas denúncias contra ele, já que ele é inocente, Dirceu insistia em dizer que o objetivo é atingir o governo. E repetia que ficou quase três anos na Casa Civil e saiu sem nenhum processo. “É difícil um ministro-chefe da Casa Civil sair sem uma ação de improbidade. Eu saí”.
Dirceu afirmou ser favorável a que todas as denúncias públicas sejam investigadas e cobrou que as denúncias de corrupção sejam provadas. “O que há contra mim é a vontade de me cassar”, queixou-se.
Ele rechaçou, também, que mande no PT acima de todas as outras lideranças. “Estão tentando passar para o País a idéia de que eu mandava no PT. Eu não mandava no PT. Fiquei quieto, agora não vou mais ficar calado. As mudanças no PT levavam anos para se consolidar”, arrematou.
Ao contrário do presidente Lula - que afirmou em Paris que caixa 2 “é normal” no Brasil - Dirceu disse que “caixa 2 tem de ser reprimido, porque tem lavagem de dinheiro, tráfico, crime organizado’. E afirmou: “Eu não posso aceitar que o País aceite que haja caixa 2”. E criticou a decisão do STF, que autorizou o processo por quebra de decoro quando ele estava no cargo de ministro. “Não era assim, o Supremo mudou”.