Tuesday, October 11, 2005

CURTAS E GROSSAS!

Dirceu conta com bancada petista para salvar mandato
Brasília - O ex-ministro da Casa Civil e deputado José Dirceu (PT-SP) evitou comentar a decisão da Mesa da Câmara de avaliar individualmente cada um dos 13 processos que enviará ao Conselho de Ética contra os parlamentares acusados de envolvimento no suposto esquema de mensalão. Em conversas reservadas, Dirceu assumiu uma postura diferente da adotada pelos seis colegas petistas também acusados, que reagiram contra a medida adotada pela Mesa.
"Não tem como cobrar do Aldo", disse Dirceu, referindo-se ao presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP). "Nem do Aldo nem do Planalto nem do PT", continuou.
Na avaliação de Dirceu, que deu um charuto de presente ao deputado Ricardo Berzoini (PT-SP) pela vitória na eleição do Diretório Nacional do PT, seguramente a bancada federal ficará do lado dos acusados num gesto de solidariedade partidária. "Eles terão os 80 votos do PT. Já está bom demais", disse Dirceu.
Ou seja, para fugir à cassação, vão precisar do apoio de outros 230. Nos bastidores, o deputado disse acreditar que a estratégia de ganhar tempo pode ser favorável a alguns envolvidos nas denúncias de corrupção. "A situação de muitos pode até melhorar se o julgamento ficar para o próximo ano."
Mas, para se preservar, o ex-ministro da Casa Civil evita tratar publicamente do assunto. "Agora, só penso em defender o meu mandato."
Dirceu diz não se incomodar com as críticas de que estaria agindo sozinho para se defender. A sua situação é diferente da dos outros seis colegas de partido, já que seu processo é anterior e está mais avançado.
Na próxima semana, o Conselho de Ética deve votar o relatório que recomenda a cassação de seu mandato. Ele já entrou com pedido de liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspensão da recomendação.