Tuesday, September 20, 2005

ENTREVISTA DE CESAR MAIA

Entrevista retirada do Blog do Moreno:
O prefeito do Rio, César Maia, anunciou nesta segunda-feira o fim do seu blog -- diário eletrônico da internet. O blog de César Maia, um das mais polêmicas colunas diárias nasceu em plena crise dos escândalos do mensalão e gerou discussões desde o primeiro dia, tal como a divisão do tempo entre o blogueiro e o prefeito. Entusiasmado com o sucesso do brinquedinho, de prefeito-blogueiro César Maia passou a ser chamado então de blogueiro-prefeito. Seu blog, uma espécie de terror do mercado financeiro, onde obtém informações exclusivas, já deu vários furos jornalísticos. Maia encerra seu blog no próximo dia 30 de setembro, quando completa exatos dois meses e uma semana de existência. Eis a entrevista:
P -- É verdade que o sr. vai acabar com o blog?
César Maia -- Certamente. Foi uma experiência exitosa e fundadora entre os políticos brasileiros. Pensava em levá-la por mais tempo. Mas apareceu um problema. Destaco como piso -duas horas por dia para leitura substantiva,( livros e teses), e quatro horas por dia,sábado e domingo. O blog reduziu meu tempo de leitura à metade e as vezes menos. Tive que optar. Ficarei com a leitura que me acompanha há muito mais tempo e espero que a vida toda. Tentei conciliar e não consegui. Por isso encerro o blog dia 30 de setembro com dois meses e uma semana. Com tristeza, mas não tenho alternativa.
P -- Como político e líder partidário, seu blog não era imparcial?
R: Blog político não é imparcial.É opinião do politico em tempo real durante o dia, como um diário em tempo real. Tem três vetores: 1) reedita o noticiário com o foco do político. (Testei isso na TV na campanha de 2000 com o bloco "De olho na noticia"). A reedição dá destaque ao que se quer e faz uma chamada que pré-opina. 2) Opinião. Isso se faz com a própria re-edicão de noticias e com comentários formais. 3) Informação. O politico durante o dia obtém informações e disponibiliza as que interessa. O blog permite ao politico perder a inibição ao comentar sobre a linha adotada pela midia e tornar seu comentário público.
P -- O sr. tem a média de sua audiência e o controle das pessoas que o acessam? Neste último caso, se a resposta for positiva, quem importante já acessou seu blog?
R: Entradas únicas durante a semana são 10 mil por dia. No fim de semana 5 a 6 mil por dia. Mais 3 mil pessoas inscritas que recebem automaticamente. Mais aquelas que sendo parte de um mesmo IP -exemplo- a redação de um jornal, uma empresa, um ministério ou secretaria- tem que ser somada, pois o contador só registra uma entrada por IP. Estimo que sejam 15 mil entradas únicas nos dias de semana. E umas 25 mil que entram mais de uma vez. Nos EUA há umas 400 entradas diárias. Nos demais países umas 100. No mercado financeiro relevante, creio que 100% acessa. No Palácio do Planalto há umas cinco entradas por dia. Etc...Serra e Zé Dirceu entram. E se somar os multiplicadores -tipo vários leitores de um mesmo jornal- as noticias quentes vão para no minimo quatro vezes isso.
P--- Como o sr. divide sem tempo entre o blog e a prefeitura?
R: Nenhum problema. A leitura é que foi prejudicada. Mas o blog -definitivamente- não é instrumento de comunicação politica para prefeito/governador/presidente e sim para parlamentar. E um instrumento espetacular que espero seja difundido entre nossos deputados e senadores por estado.
P -- O sr. acha que no Brasil as pessoas já entendem o sentido e a finalidade dos blogs, tanto os que o fazem como os que lêem ?
R: Ainda não. Blog não é site e não é rede e não é news letter. É diário em tempo real durante o dia com opinião de politico que serve de referência para alguns e que tem informação de bastidores.
P-- Por que o internauta, os leitores da internet, são tão agressivos nos seus comentários aos textos dos blogs?
R: No meu caso, retirei o link -comentários- e disponibilizei dois e-mails. Isso suaviza muito e reduz o número.
P-- O sr. recebe muitas pressões por fazer blog?
R: Quando entrei nos bastidores do mercado financeiro, o fogo foi muito cerrado. Mais que nos bastidores da politica.
P -- O sr. ficaria constrangido se tivesse que fazer críticas no seu blog à atuação do PFL? O sr. criticaria, por exemplo, Jorge Bornhausen e ACM?
R: O blog é opinião de um politico com foco. Desta forma só em situações com desdobramentos importantes se critica. Fui o primeiro a criticar -ampla e extensamente- o projeto de lei -hoje lei do Senado- de reforma eleitoral via barateamento de custos, cujo autor foi meu presidente.
P -- O sr. já viveu lua-de-mel com Lula. Acha que o governo dele acabou?
R: Sim. Na verdade é ele e não o Zé Dirceu o ator principal. Dirceu tem dito isso: -" Delubio não é do meu time". - " Tudo o que fiz o presidente soube e autorizou". E ontem: -" Vim aqui votar. Não fujo às minhas responsabilidades. O grupo sindical -Delubio, Dulci, Sandra Cabral, Gushiken,....- é grupo Lula. Releia várias edições do Globo de março de 2004 depois do caso Waldomiro. Série : Rebelião da base aliada. E verá que Lula recebeu cada um dos lideres e presidentes do PTB, PP e PL. E que recebeu publicamente a demanda sobre os Correios. E que "acalmou" a base aliada. Acompanhe a partir de março o progresso das liberações de Valério-Delubio e veja como cresceram entre março e junho de 2004 -bem antes das eleições municipais. Era o mensalão aprovado pelo Lula diretamente, sem intermediários.
P -- Quem levou o governo pro buraco?
R: A ética e a prática do sindicalismo privado em multinacionais: sem contabilidade, sem limites,...Duvido que alguém consiga demonstrar o nexo entre o acúmulo de patrimonio da CUT -edificios, centros de estudos, hotelaria sindical,....- e a origem dos recursos. Levante e peça a demonstração das receitas. Não há como demonstrar. É um absurdo. Delubio tem como profissão "Tesoureiro. Da CUT, do FAT e do PT,....e do Caixa 2 do governo de Lula.