Friday, August 26, 2005

Arquivos do ARaguaia

CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ
Sessão: 275.2.52.O
Hora: 14:54
Fase: BC
Orador: JAIR BOLSONARO
Data: 08/12/2004
O SR. JAIR BOLSONARO (PTB-RJ. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, há pouco, ouvimos o Deputado Ivan Valente falar sobre a decisão judicial de abrir os arquivos do Araguaia. S.Exa. falou isso em nome da verdade. E também falou em corrupção durante o regime militar, praticada por militares.Duas observações apenas: primeiro, a imprensa está livre há mais de 20 anos em nosso País e tem fuçado a vida de dezenas e dezenas de militares, mas não achou até hoje um sócoronel, general ou sargento com dinheiro no exterior ou com bens imóveis em nosso País. No entanto, já que o Deputado Ivan Valente é tão zeloso no tocante à corrupção, pergunto-lhe por que seu partido enterrou a CPI do Waldomiro.Agora há pouco, falando sobre a operação da Polícia Federal denominada Sentinela, o Deputado Professor Luizinho falou que essa ação da PF compromete a governabilidade. Ora, Sr. Presidente, vamos deixar de pregar moral de cuecas aqui nesta Casa.Em relação aos arquivos do Araguaia, também quero que sejam abertos. Nossos colegas militares também querem. Ninguém tem nada a esconder. Agora, não vamos admitir censura por ocasião da abertura dos arquivos do Araguaia. Ou não querem conhecer melhor, mais amiúde como eu conheço, a história do grande guerrilheiro José Genoíno? Inclusive, passou alguns anos como morto, depois de ter sido detido no Araguaia, para que os aparelhos existentes em São Paulo não mudassem de lugar e o Sr. José Genoíno pudesse, calmamente, enquanto freqüentava Brasília e São Paulo, delatar seus companheiros sem levar um tapa sequer. Genoíno não levou um tapa, um piparote sequer de um militar para entregar todos os seus companheirosE vamos acabar com essa história de que esse pessoal estava na categoria de preso político. Eram seqüestradores, assaltantes de banco, estupradores, terroristas. E praticavam a corrupção em larga escala. Esse éo passado desse pessoal.E o que está em jogo, meus companheiros parece que muitos não acordaram para isso ainda , é o grande negócio do Sr. Luiz Eduardo Greenhalgh, o seu escritório de advocacia em São Paulo. S.Exa. declarou na mídia há poucos dias o seguinte: "É inútil dormir, que a dor não passa." A dor que S.Exa. sofre, Deputado Inocêncio Oliveira, chama-se LER, lesão por esforço repetitivo, que ataca de vez em quando alguns companheiros digitadores desta Casa. No caso de S.Exa., é de tanto contar dinheiro. Trata-se de LER no polegar e no indicador.A LER do Sr. José Genoíno é de entregar os colegas e, a do Sr. Luiz Eduardo Greenhalgh, de contar dinheiro, de indenizações milionárias às custas da Viúva.Até seu Chefe de Gabinete, Sr. Dantas, recebeu mais de 1 milhão de reais a título de indenização, após ter passado sob o crivo de uma comissão de anistia parcial indicada pelo Secretário Nilmário Miranda, pelo Ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que tem também brilhante escritório de advocacia e só defende marginal de altíssima periculosidade. Por isso, ele quer o fim dos crimes hediondos, para exatamente defender seqüestradores, colegas de Greenhalgh do passado, de José Genoíno, de Nilmário Miranda e por aí afora. O que eles querem, na verdade, no tocante aos arquivos, é descobrir mais pseudotorturados. No início, estava previsto 1 bilhão de reais para esses marginais, agora, o Governo já sinalizou com 4 bilhões de reais, com 30% para o Greenhalgh, que resultam em 1 bilhão e 200 milhões de reais e ainda vejo o colega na Comissão de Constituição e Justiça votar emenda de Comissão para anistiados políticos. Isso é uma brincadeira, é uma farsa!Quanto à abertura de arquivos, queremos ver melhor a história do Ministro Chefe da Casa Civil, José Dirceu, um precursor de Bin Laden, que lançou um carro-bomba ladeira abaixo em São Paulo, assassinando um soldado do Exército brasileiro. A Comissão presidida por quem está com LER, o Greenhalgh, resolveu dar aos familiares, pai e mãe de Mário Kozel Filho, zero de indenização e, de pensão, 330 reais.Não deu para armar com a família dele 1 milhão de reais para ficar com ele e, conseqüentemente, receber pensão maior. É um grande negócio essa história de ditadura militar. Esses que falam em ditadura vivem curtindo férias em Cuba e abraçando o maior ditador e sanguinário chamado Fidel Castro, que matou mais de 70 mil esses sim presos políticos. E agora começa a libertar alguns escritores para se aproximar de Espanha. Essa é a grande verdade, Sr. Presidente.Esperamos colocar um fim nisso. Que esta Casa não continue acolhendo emendas para marginais, sanguinários, assassinos, covardes, estupradores da Esquerda. Esses marginais que chegaram neste Congresso agora e chegaram na Presidência em cima do estelionato eleitoral.